As várias linguagens da dança

O BALÉ DE ARTE e Cultura Negra do Recife está entre os grupos participantes do festival, que promete reunir 50 mil pessoas
22/7/2010
O IV Festival de Dança do Litoral Oeste começa hoje e segue até sábado, reunindo 18 grupos em Paracuru, Trairi e Itapipoca

O evento propõe uma troca de saberes e fazeres entre as várias linguagens da dança - a exemplo da dança popular, de salão, contemporânea e outras. A programação inclui atividades de formação e espetáculos, e foi construída a partir de um diálogo entre a Associação dos Bailarinos, Coreógrafos e Professores de Dança do Ceará (Prodança) e representantes das três cidades-sedes do evento, que juntos formaram a curadoria desta edição.

Segundo Clerton Martins, presidente da Prodança, os critérios para a seleção dos grupos, previamente divulgados no edital do evento, levaram em conta o objetivo de fazer um festival o mais diversificado possível. "Os requisitos respeitavam qualquer linguagem, desde que as propostas respeitassem os limites estruturais do evento, em relação a palco, iluminação e outros aspectos. Por exemplo, um número máximo de 10 bailarinos e de 30 minutos de duração em cada espetáculo. Nosso intuito não era excluir grupos, mas adaptar as apresentações ao formato do festival", esclarece.

Em relação à inclusão de tantos estilos e linguagens em um único evento, Clerton explica tratar-se de uma tendência atual dos grandes festivais de dança em todo o País. "No de Joinville e no Festival de Inverno de Campina Grande, por exemplo, é assim. A amplitude de linguagens não faz perder o foco. Pelo contrário, estabelece a possibilidade de diálogo, que é muito rica".

Participam do festival companhias do Ceará e de outros Estados, além do grupo Raízes de Plón, de Cabo Verde. As apresentações acontecem em espaços públicos dos três municípios envolvidos. Entre as atividades de formação realizadas durante o festival estão residências coreográfica, oficinas de dança, palestras, mostra de vídeo-dança e outras, direcionadas tanto a estudantes e profissionais da área quanto à população em geral.

"Temos as oficinas que acontecem de manhã, ao longo do festival. Mas, na verdade, essas ações formativas vêm acontecendo desde maio deste ano e também continuam depois do festival, seguindo até setembro", ressalta Graça Martins, vice-presidente da Prodança. "São mais de 40 oficinas. Algumas para os artistas e os mais interessados no tema, como crítica de dança, vídeo-dança... Outras abertas a um público mais amplo", acrescenta.

Já os espetáculos têm início no começo da noite. "A partir das 18h tem a ´Dança ao Pôr-do-sol´, e às 20h acontecem os espetáculos em palco aberto, na praça principal de cada cidade", indica. Todas as atividades são gratuitas e acontecem simultaneamente nos três municípios, que há alguns anos desenvolvem ações significativas em torno da dança.

"No Trairi, Antônio Gonçalves, conhecido como ´Neném´, desenvolve um trabalho junto à Secretaria de Cultura do Município. Em Itapipoca, tem a Cia Balé Baião, de Gerson Moreno, que agora trabalha também com a Dançarinos Operários, composta de bailarinos funcionários de uma fábrica local. E em Paracuru há a Escola de Dança de Paracuru, de Flávio Sampaio", enfatiza Graça

Programação

Além de se colocar como ponto de encontros e de trocas de informações, o festival objetiva contribuir para o fortalecimento dessas iniciativas e da manifestação artística na região e no Ceará com um todo.

"A dança cênica no Litoral Oeste tem ocupado um papel de destaque entre as demais linguagens artísticas, não somente pela qualidade e diversidade da produção, mas também pela força das iniciativas que contribuem para o seu fortalecimento", aponta Clerton Martins. "Seu poder de mobilização social é capaz de articular os agentes culturais de toda a região, no sentido de transformar a realidade social e cultural dos seus municípios, criando uma cadeia produtiva sustentável, indutora de desenvolvimento local", aponta o organizador.

Segundo sua colega Graça, a expectativa de público para a quarta edição do Festival de Dança do Litoral Oeste é de 50 mil pessoas, nos três municípios, contando artistas, profissionais, moradores e turistas. "É um evento que envolve toda a comunidade, inclusive em municípios próximos, como Amontada, Curu e Umirim. A receptividade da população é ótima, há muitas inscrições para as oficinas. Felizmente, nesses últimos 12 anos, a dança no Ceará tomou um impulso contundente, e hoje é referência para outros Estados", entende.

"É um trabalho de formiguinha, mas cujos resultados podem ser vistos em conquistas como o Curso Técnico em Dança do Centro Cultural Dragão do Mar, o Fórum de Dança do Ceará, a Bienal de Dança e, no próximo ano, o primeiro curso de graduação em Dança do Ceará, construído junto com a UFC, com aulas já em 2011".

Programação

HOJE

Paracuru
Cia dos Pés Grandes (Fortaleza-CE)
Grupo de Dança Tablado (Fortaleza-CE)
Banda Dona Zefinha (Fortaleza-CE)

TRAIRI
Cia Flex (Trairi-CE)
Cia de Dança Jane Ruth (Fortaleza-CE)
Cia de Dança Ciclos (Tabuleiro do Norte-CE)
Ballet Goretti Quintela (Fortaleza-CE)
Coco do Iguape (Cascavel-CE)

ITAPIPOCA
Dançarinos Operários (Itapipoca-CE)
Alysson Amâncio Cia de Dança (Juazeiro do Norte-CE)
Balé Baião (Itapipoca-CE)
Balé de Teresina (Teresina-PI)

AMANHÃ

Paracuru
Dançarinos Operários MH2O (Fortaleza-CE)
Alysson Amâncio Cia de Dança
Balé Baião
Balé de Teresina

TRAIRI

Escola de Dança de Paracuru (Paracuru-CE)
Raizes de Plón (Cabo Verde-África)
Cia de Dança de Paracuru (Paracuru-CE)
Cia dos Pés Grandes
Grupo de Dança Tablado
Banda Fulô da Aurora (Fortaleza-CE)

ITAPIPOCA

Grupo de Capoeira (Itapipoca-CE)
Cia de Dança Jane Ruth
Cia de Dança Ciclos
Ballet Goretti Quintela
Mário Nascimento (Belo Horizonte-MG)

SÁBADO

Paracuru Cia Flex
Cia de Dança Jane Ruth
Cia de Dança Ciclos
Ballet Goretti Quintela
Mário Nascimento
Coco do Iguape

TRAIRI

MH2O
Alysson Amâncio
Cia de Dança
Bale Baião
Balé de Teresina

ITAPIPOCA

Escola de Dança de Paracuru
Raízes de Plón
Cia de Dança de Paracuru
Cia dos Pés Grandes
Grupo de Dança Tablado
Banda Fulô da Aurora

MAIS INFORMAÇÕES:
Festival de Dança do Litoral Oeste
De 22 a 24/07, em Trairi, Paracuru e Itapipoca. Das 9h às 22h. Gratuito

ADRIANA MARTINS
REPÓRTER
http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=817989

Visitas: 99

Incluir comentario

¡Necesitas ser un miembro de movimiento | movimento para añadir comentarios! | É preciso ser membro para incluir comentários

Participar en movimiento | movimento

Danza y cultura en red | Dança e cultura em rede

Este es un proyecto dance-tech.net desde 2018 y es curado por

Marlon Barrios Solano

Creada por la Red Suramericana de Danza en asociación con idanca.net y Associação Cultural Panorama | Criada pela Red Sudamericana de Danza em parceria com idanca.net e Associação Cultural Panorama.

© 2019   Creado por Red Sudamericana de Danza.   Tecnología de

Emblemas | Badges  |  Reportar problema  |  Términos de servicio