Nesta quinta, tem início a Plataforma Internacional de Dança 2011 De 3 a 11 de novembro, em Salvador, Bahia


Nove dias de programação. Oito países participantes. 13 espetáculos e muito diálogo. A partir da próxima quinta-feira (03/11), Salvador estará recheada de Dança. ”Danças-espaço, para que os nexos se fortaleçam. Espaço para a palavra, para a ação, para a experiência estética, experiência sensível, para que questionamentos sejam colocados e gerem eco nos outros. Danças-tempo, para o encontro dos parceiros, para a reunião de pessoas afins. Pessoas diversas, protagonistas, comprometidas, interessantes, instigantes, provocadoras.” É a chegando a Plataforma Internacional de Dança (PID 2011) que está chegando!
Vários eixos se cruzarão durante a PID. Através da terceira edição do Seminário de Economia da Dança, da terceira edição das Jornadas sobre Curadoria para Dança e das Oficinas “Diálogo Mestiço: dança contemporânea e outras áreas de conhecimento” mais conhecimento será produzido nos âmbitos de gestão, comunicação, produção, produção artistica, entre outros que fazem parte dessa cadeia produtiva. Além disso, a segunda edição da Mostra Artística PID trará à capital baiana espetáculos diversos. 
A entrada para todas os eventos é gratuita.
 
Participam dos eventos, artistas 
do 
U
ruguai, 
C
ol
ô
mbia, 
A
rgentina, Equador, Chile 
e
 Alemanha 
foram convidados

E a expectativa de todos é mesmo o intercâmbio de conhecimento e experiências sobre o fazer da Dança entre pessoas de tão diferentes origens geográficas e estilísticas. 
"
Espero que a PID
 se estabeleça como um espaço de construção coletiva de ideias e produção artística, uma Plataforma que lan
ce
 e acolhe diversas experências objetivando alimentar estes espaços de trocas e de difusão artistica," 
comenta uma das organizadoras do evento, Catarina Gramacho.
Da mesma ideia, compartilha a artista mineira Ana Reis, que virá apresentar a obra Trajeto com Beterrabas, na Praça Dois de Julho (Campo Grande), dia 06 de novembro (domingo), às 17h. “Trocaremos nossas experiências, vivências, sensibilidades, ideias, processos. Peculiaridades e especificidades do nosso contexto ou os muros e portas (abertas ou fechadas) que são quase sempre os mesmos em lugares os mais diversos. Discutir caminhos, saídas, propostas, linhas de fuga, territórios férteis.” Duarente as discussões, além de pensarem em possibilidades práticas para que a Dança seja cada dia mais viável, haverá vazão também para a imaginação rolar solta. “E devanear também, porque não? Imaginar junto, confabular, construir”, completa.
Com foco
 no circuito alternativo
 e experimental

a PID 
se apoia na ideia de colabora
çã
o e acredita na associa
çã
o com o outro. 
E
 que cheguem novos
pensamentos, novos 
trabalhos 
e que chegue você

As discussões serão pautadas na Dança, mas todo admirador desse universo é convidado. As
inscrições nas atividades são gratuitas 
e já podem ser feitas no endereço www.pidbahia.com.br. Os 
ingressos dos espetáculos também são gratuitos
mas precisam ser retirados na bilheteria uma hora antes do inicio de cada obra. Este evento está sendo viabilizado através de parcerias com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE-BA, a Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB e a AMPLA Produções e Eventos.
Seminário de Economia de Dança
Questões da sustentabilidade, distribuição e difusão da dança na América Latina
Como ponta-pé nas atividades de reflexão sobre os processos econômicos que envolvem a Dança, no dia 3 de novembro, está programada a palestra “Introdução a Economia da Cultura”, ministrada pelo especialista em Economia da Cultura (consultor UNESCO, UFRGS, FACAMP e OEI), Leandro Valiati, em parceria com a SEBRAE. Em 
seguida, o público poderá escolher entre grupos de trabalho
 que colocarão em pauta questãos sobre os modos de se viabilizar a Dança considerando níveis de parceria junto ao governo, colegas de profissião e público em geral. Serão discutidas e produzidas ideias de novos projetos, alianças estratégicas e manifestos coletivos nos dias 3, 4 e 6 de novembro, sempre pela manhã (a partir das 8h ou 9h, dependendo do dia), no Espaço Xisto Bahia.
Jornadas sobre curadoria para Dança
Experiências e reflexões acerca deste labor na América Latina
A Jornada de Curadoria terá uma duração de quatro dias, de 7 a 10 de novembro. Ela irá reunir agentes culturais nacionais e internacionais com experiência em programação, curadoria, crítica e teoria de dança, mais representantes dos territórios de identidade baianos. As discussões girarão em torno da ideia de reconhecer nas nossas práticas que tipo de pensamento curatorial estamos utilizando e como este repercute na produção artística. Principalmente estaremos trabalhando sobre a possibilidade de construir coletivamente conhecimento sobre curadoria que responda às necessidades estéticas, artísticas, sociais e políticas da nossa região sul americana tomando em consideração sua diversidade e sua complexidade.
Mostra Artística PID
Durante todos os dias da PID, 13 obras serão apresentadas em espaços diversos da cidade. Elas foram selecionadas entre 125 que se apresentaram para a seleção de curadoria em 2010, realizada por Nirlyn Seijas (artista e produtora de Dança, especialista em Estudos Contemporâneos em Dança pela UFBA), por Jaqueline Vasconcellos (vídeo-artista e produtora cultural, especialista em Estudos Contemporâneos em Dança pela UFBA) e por Gilsamara Moura (coreógrafa, bailarina e doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP). Da Bahia, participarão seis obras. Além delas, vão haver duas de Minas Gerais, uma de Santa Catarina, duas do Uruguaui, uma da Colômbia e outra da Argentina, todos de diversos formatos, durações e tendências.
Abaixo, um pouco sobre cada uma que estará em Salvador entre nos primeiros quatro dias de Plataform
a.
Periférico Projeto Tango (Uruguai)

03/11, às 19h30, no Centro Cultural Plataforma
“N
esta proposta cênica El Tango é destrinchado e re-significado em muitos dos seus elementos mais característicos... O “entre” de corpos quase detidos em um tempo dilatado, situados em uma extrema proximidade, da densidade ao espaço e a sensualidade própria do tango.” O espetáculo é uruguaio e é dirigido por Federica Folco. A perfomance da obra será a primeira da Mostra Artística PID e será realizada no dia 03 de novembro (quinta-feira), no Centro Cultural Plataforma, às 19h30.


Compañía (Uruguai)

04/11, às 19h, no Centro Cultural Plataforma
Também do Uruguai, aportam em Salvador os artistas de Compañía, obra dirigida por Carolina Silveira. Segundo ela, os profissionais envolvidos neste trabalho estão interessados em processos criativos e metodologias de criação que abarquem diferentes configurações e estratégias. “Acreditamos no que cada configuração, projeto e processo demanda de dinâmicas internas. Nesse sentido nos interessa a troca de experiências e pontos-de-vista com artistas de diferentes procedências geográficas, estéticas e culturais”, comenta.
Tomando como primera fonte de inspiração a obra narrativa do dramaturgo e escritor irlandês Samuel Beckett – em especial as novelas “Compañía” e “Malone muere”, além de uma série de contos –, a Compañía tenta desentranhar seus fundamentos e seu projeto estético implícito para se aproximar da sua natureza a partir da linguagem das cenas. A apresentação do grupo será realizada no dia 04 de novembro, no Centro Cultural Plataforma, às 19h.

Dança a um real (Minas Gerais)

05/11, 
entre 13h e 18h, no Mercado do Peixe


P
ode
-se
 vender danças ao preço popular de R
$
1,00

N
ão no teatro, mas 

na lógica de quem passa um dia ou um período inteiro 
em 
um shopping, feira, praça, vendendo produtos materiais? Como sobrevive o artista? 
Neste espetáculo, essas e outras questões estarão em pauta. 
A perfomance do grupo Uai Que Dança, de Uberlândia (MG) tem duração de três horas e meia e acontecerá no Mercado do Peixe, entre 13h e 18h, apresentação do grupo será realizada no dia 04 de novembro, no Centro Cultural Plataforma, às 19h.
Um Alemão chamado Severino (Bahia)

0
5/11, 
às 18h, no Teatro Movimento (UFBA)


“Tipos e níveis de
 estranheza para promover a reflexão sobre os encontros, processos que reconhecem as tensões nas fronteiras que aproximam contextos e abrem a possibilidade de repensar o outro e o mundo. 
Um Alemão Chamado Severino
 
borra concepções dualistas entre público e obra, se completa no corpo-fruidor.”
Envolvidos numa empreitada que articula linguagens e concebe a arte como um fazer despreocupado com categorias estanques, os artistas do 
Coletivo 
Quitanda 
(Salvador, Bahia) 
dão a cara a tapa e provocam os fruidores da obra, convidando-os a experienciar situações não-habituais. 
Dirigido por 
Giltanei Amorim, o espetáculo está programado para o dia 05 de novembro (sábado), às 18h, no Teatro Movimento (UFBA).
Trajeto com Beterrabas (Minas Gerais)
06/11, às 17h, na Praça Dois de Julho (Campo Grande)
Um processo de transformação da matéria orgânica até criar um ambiente de acumulações. A subjetividade é trazida à tona por meio da força expressiva de um ato simples, buscando no ato cotidiano e doméstico, um
 religare, um instante sagrado, de suspensão, de subversão dos hábitos contemporâneos a que estamos submetidos.” Criada e levada ao palco pela artista Ana Reis, a obra de Uberlândia (MG), acontecerá no dia 06 de novembro, na Praça Dois de Julho (Campo Grande), às 17h.
O engenheiro que virou maça (Bahia)
06/11, às 18h, no Teatro Movimento (UFBA)
Instalação cênica de paisagem acidentada... Imagens que condensam universos usuais e oníricos... Oscilações de intensidade, transmutações e cortes bruscos. Artistas e público comungam uma espécie de sala de estar inventada, espaço de aguçamento poético-perceptivo simultaneamente íntimo e formal, onde experiências de convívio têm lugar.” 
O espetáculo é criado e interpretado pelo 
Coletivo Construções Compartilhadas 
(Salvador, Bahia), 
uma liga heterogênea e variável de artistas de distintas áreas, sobretudo dança contemporânea, operando no âmbito da criação artística bem como da gestão cultural, ambas sempre conectad
a
s com o entorno enquanto possibilidades colaborativas. 
A obra será realizada no dia 06 de novembro (domingo), no Teatro Movimento (UFBA), às 18h.
O quê? 
Plataforma Internacional de Dança (PID)
Quando?
 De 3 a 11 de novembro de 2011
Quem? 
Profissionais e público interessado em Dança
Quanto?
 Grátis
Onde? 
Biblioteca dos Barris, Espaço Xisto, Sesc Pelourinho, Galeria Aliança Francesa, Teatro Moliere, Solar Boa Vista de Brotas, Centro Cultural Plataforma, entre 
outros espaços culturais em Salvador, Bahia

Para mais informações, acesse 
www.pidbahia.com.br
 ou envie e-mail para 
pidbahia@gmail.com
.

Visitas: 113

Incluir comentario

¡Necesitas ser un miembro de movimiento | movimento para añadir comentarios! | É preciso ser membro para incluir comentários

Participar en movimiento | movimento

Danza y cultura en red | Dança e cultura em rede

Este es un proyecto  de

Marlon Barrios Solano

Creada por la Red Suramericana de Danza en asociación con idanca.net y Associação Cultural Panorama | Criada pela Red Sudamericana de Danza em parceria com idanca.net e Associação Cultural Panorama.

This network is maintained and administrated by Marlon Barrios Solano as an independent art/curatorial/social innovation project.

You can donate to support my work here:

WOULD YOU LIKE MAKE A ONE TIME DONATION?

Become my patron:

Become a Patron!


Support  making a single donation of any amount.
Thank you!

Contact:

marlon@dance-tech.net

for more information

YOU MAY DONATE BITCOIN HERE

WALLET

38rswPwwQB67cbe8z1E72PhtQCM1umpyjK

© 2021   Creado por Red Sudamericana de Danza.   Tecnología de

Emblemas | Badges  |  Reportar problema  |  Términos de servicio